segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Kusta Pässää - DT' 1998



Kusta Pässää era nervoso! Anterior ao Jäzzus, essa era uma das melhores bandas do gênero crust/grind/powerviolence antes mesmo dele entrar na "moda". A banda era formada pelo Paulista (Mukeka di Rato) e Bebê (Mukeka di Rato e Dr. Mobral) no vocal, Thadeu (Oposição) na guitarra, Sandro (Mukeka di Rato) na bateria e Nengo no baixo. Infelizmente não cheguei a ver show deles.

O esquema era campanha para a destruição musical. Hardcore rapidão, gritado e com letras politizadas. Como o título de uma das músicas já dizia, era um "Corre, Corre" doido.

Posteriormente, o Mukeka di Rato chegou a regravar o som "Custa Passar" e o Life is a Lie (banda do Douglas que foi um dos responsáveis pelo lançamento desta demo tape) gravou a clássica "Gasolina".

Além dos sons autorais a demo conta com um cover do Dropdead e um do Napalm Death.

Download:

Esta demo foi ripada pelo Chico Cuíca. Se você tem demos antigas de bandas do espírito santo entre em contato.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Jäzzus - Demo ensaio (2001)


Capa singela do Jäzzus

Campanha pela destruição musical? sim! O Jäzzus foi a filial tardia, porém necessária, do Lärm no Espírito Santo. Letras sarcasticamente politizadas, shows performáticos e caóticos, cartazes e panfletos voando e muito barulho.

O Jäzzus é a banda com alguns dos melhores títulos músicais, como: "Eu não tenho tempo para ler esse zine, eu preciso pintar meu cabelo para o show dessa noite", "Se cada um fizesse a sua parte tudo continuaria a mesma bosta" e "As lentes do binóculo made in taiwan só vizualizam a cultura ocidental".

Essa demo ensaio foi disponibilizada pelo Allan, ex-baixista da banda, que teve grande participação na cena hardcore do ES, desde o zine Uma Parte, Polvora Distro, La Revancha e produtora broken bones.

O encarte da demo era um zine em formato A4 cheio de colagens, letras e comentários sobre as músicas.


Essa demo de 2001, influenciou muito as bandas de hardcore rápido, grind e powerviolence que surgiram na época.

Baixe aqui:

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

HDC - Interlúdio


Caras, não posso falar muita coisa sobre o HDC, ouvindo o som hoje da pra notar influências de várias bandas que estavam tocando no momento como o Dead Fish, Gritos de Ódio...

Eu estava reparando que esta é mais uma capa ilustrada pelo Feijão e isso me deu a grande idéia de entrevistá-lo para o blog. Aguardem.

Mas voltando ao HDC, achei interessante que no encarte diz que a banda repensou sobre seus conceitos apresentados na demo anterior e resolveu fazer um som mais politizado. Isso soa engraçado hoje, mas retrata bem um tempo em que a maior parte das bandas de hardcore tinham essa preocupação, quase uma obrigação de ter conteúdo político nas letras, o que caracterizava um diferencial para a época. Esse idealismo, mesclado com um pouco de ingenuidade, também aparecia nos fanzines que circulavam na época.

HDC - Interlúdio

Se tiverem mais informações sobre a banda postem aí.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Skape - Skape de tudo que lhe faça mal



O Skape era representante do som "skacore" aqui no ES. Os shows eram bem divertidos, principalmente pela performance do vocalista João Paulo, que parecia um tiozinho animador de festas. Nessa demo tocavam João Paulo (ex-Visão Social), Dudu (ex-Mukeka di Rato) Brek (Mukeka di Rato) e Rogério Japonês (Merda).

Skape - Skape de tudo que lhe faça mal.
Download: